Buscar
  • Paulo de Oxalá

Dupla Rosa Amarela viaja o Brasil com ‘Canto de toda fé’


Por ser filha de Yansã, ela tem aquela força indispensável que motiva o entusiasmo. Ele é um companheiro generoso, que como bom filho de Xangô é autêntico e aplicado. Juntos superaram em 2015, um momento de abatimento, mas retornaram a carreira mais firmes e fortes. Ela é Pris Mariano; e ele, Rodrigo Di Castro, que formam a dupla ‘Rosa Amarela’.


Pris é carioca e teve seu primeiro contato com a Umbanda ainda criança na casa de sua avó Nair, na Pavuna.


Já adulta, frequentou o Terreiro Ọmọ Àṣẹ Ọmọ Erinlẹ̀ comandado pelo Babalorixá Alessandro de Oxóssi. Foi nesse Terreiro que Pris sentiu de fato a energia ancestral dos Orixás.


Agora, Pris cuida da sua espiritualidade na Tenda Ciranda de Peregrinos Consagração do Oriente, uma casa que além de manter e propagar a tradicional liturgia umbandista, também cultua as tradições ciganas.


Rodrigo Di Castro, esposo de Pris e parceiro no ‘Rosa Amarela’, é gaúcho, vem de origem católica, e atualmente é seguidor de Umbanda. Foi ele quem sugeriu o nome Rosa Amarela para a dupla.

“Eu tenho uma entidade cigana, que trabalha com rosas amarelas. E onde moramos, temos pés de rosas amarelas, e um dia nasceu uma linda rosa! Então, Rodrigo me perguntou o que eu achava do nome ‘Rosa Amarela’, para identificar o nosso trabalho musical. Achei maravilhosa a ideia! A partir daí, ‘Rosa Amarela’ virou nosso selo. Na verdade, o nome é uma forma de homenagear, e expressar nossa gratidão por essa energia que está sempre presente em nossas vidas.” Conta Pris.


A dupla é sucesso entre o público espiritualista e o das religiões de matriz africana. Pris diz que as canções da dupla têm como base os Orixás e as Entidades, mas com um estilo reza/MPB.

“Nosso trabalho vai muito além do entretenimento, pois queremos mostrar por meio das nossas canções, a beleza e a força dos Orixás, em forma de reza”.


Já Rodrigo Di Castro exalta a esperança:

“Nossa mensagem real é combinar o respeito com o amor, fazendo despertar a esperança aos corações que nos assistem”.


Além de lotarem casas de espetáculos, a dupla Rosa Amarela, possui mais de 50.000 seguidores no YouTube e já atingiu quase meio milhão de visualizações em um dos seus clipes.


Eles se apresentaram no Sítio Nascente, no 1º Festival de Músicas Rezo Rio, no último dia 15 de abril, com o show ‘Canto de toda fé’.


Seguindo a tradição dos Orixás, o espetáculo foi aberto reverenciando Exu. Ele é o Orixá mais próximo da natureza humana, senhor dos caminhos, princípio de toda transformação e crescimento.


O roteiro de ‘Canto de toda fé’ contém canções que homenageiam os Orixás e as entidades da religiosidade afro-brasileira e também da espiritualidade cigana.


Nessa apresentação do Festival Rezo Rio, Pris Mariano e Rodrigo Di Castro, lançaram a canção ‘Pena Branca’. Essa canção homenageia não só o Caboclo Pena Branca, como também o Caboclo Tupinambá, Caçador, 7 Flechas, Cabocla Jupira, Juçara e tantos outros Caboclos e Caboclas. O propósito da canção é transformar o momento em uma grande ‘Gira de Caboclos’.


‘Canto de toda fé’ segue em turnê por todo o Brasil, com o próximo show previsto para o dia 21 de maio no Estúdio Beija Flor, em Mato Grosso do Sul.


Axé


Fonte: Rosa Amarela e Alessandro Valentim

6 visualizações0 comentário
WhatsApp-icon.png