Buscar
  • Paulo de Oxalá

Agen Afro na luta pelo direito à liberdade religiosa


Há 20 anos era inaugurada pelo Bàbálórìṣà Yangô de Ọbalúwáiyé, a Agência de Notícias Agen Afro, que atualmente é composta por uma revista impressa, um portal, quatro perfis no Facebook, dois no Instagram, dois grupos de Whatsapp, um mailing contendo 2.000 mil e-mails, participação em quinze grupos e dois programas semanais em modo live nas redes.

Todas as atividades da Agência são direcionadas à cultura afro brasileira e às religiões de matriz africana, no intuito de esclarecer e colaborar com a preservação desses ritos e costumes.


Desde 2008, casos de intolerância religiosa sofridos por seguidores de Umbanda e Candomblé têm sido denunciados pelo Agen Afro.

Segundo a Agência, nos últimos cinco anos, muitos Terreiros fecharam suas portas por intolerância. A Cidade do Rio de Janeiro e a Baixada Fluminense lideram casos de intolerância dramáticos onde as vítimas foram ameaçadas, obrigadas a se mudarem e a fecharem seus templos religiosos.


O Babalorixá Yangô, editor chefe da Agência, avalia que tenham acontecido, casos de intolerância muito mais graves do que se tem conhecimento, porém acredita que as ameaças, perseguições e constrangimentos sofridos pelas vítimas, fazem com que elas se sintam intimidadas a procurarem a polícia e o poder público.

“Muitos irmãos nos procuram para relatarem casos de intolerância, eu recomendo para que eles procurem a DECRADI (Delegacia de Combate a Crimes de Intolerância), porém muitos dizem ter medo de sofrerem represálias. É lamentável a nossa situação religiosa, pois ficamos acuados para professarmos os nossos cultos. Nós do Agen Afro estamos à disposição de todos aqueles que nos procurarem”.

Para as Instituições públicas, o ano de 2020 foi um dos mais violentos, em se tratando de intolerância religiosa.


Dados da (ONDH) Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos, apontam que as denúncias de casos relacionados à intolerância religiosa, pelo Disque 100, aumentaram 41,2% no primeiro semestre de 2020 em relação ao mesmo período de 2019.

No Rio de Janeiro, um levantamento estatístico criminal do Instituto de Segurança Pública contabilizou, em 2020, 1.355 ocorrências relacionadas à intolerância religiosa em todo o estado.


Ìbọ̀wọ̀ níkan ìlubọlẹ̀ gbún àti ìṣẹ́gun àlàáfíà!

(Só o respeito derrota a intolerância e conquista a paz!)


Axé!


Agen afro: https://portalagenafro.blogspot.com/

Fontes: Agen Afro e G1.



3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
WhatsApp-icon.png